O Guia Definitivo Sobre Reserva Financeira: Aprenda o Que é, Como Montar e Onde Investir a Sua

Você já sofreu algum revés dificilmente previsível na sua vida que lhe causou um grande transtorno financeiro?

Segundo uma pesquisa da The Money Magazine, 78% das pessoas passarão por um episódio imprevisível de grande prejuízo financeiro em um dado período de 10 anos.

Assim, as chances de você passar por algum evento financeiramente negativo, nesta janela temporal, é bem maior do que não passar.

Muito provavelmente você já pensou nisso.

Ou talvez você já tenha perdido algumas noites de sono com medo de ter dificuldades financeiras no futuro, não é?

Então você precisa começar a organizar suas finanças pessoais imediatamente.

E um dos primeiros passos a ser tomados, nessa organização, é constituir uma reserva financeira.

Este é justamente o assunto desse artigo.

Não seria incrível ter mais tranquilidade para lidar com os problemas que você venha a enfrentar na vida?

Uma reserva financeira serve justamente para isso.

Ela lhe ajudará a dormir melhor à noite e transformará uma possível crise financeira pessoal numa mera inconveniência…

Então continue lendo para aprender absolutamente tudo que você precisa saber sobre o tema reserva financeira.

Aqui, você aprenderá coisas como:

  • O que é uma reserva financeira
  • Por que você precisa montar sua reserva imediatamente
  • Como montar sua reserva de emergência num curto período de tempo
  • As 3 simples perguntas que você deve se fazer antes de usar a sua reserva
  • Como investir corretamente sua reserva

 

O QUE É RESERVA FINANCEIRA

o que e reserva financeira

Uma reserva financeira é um montante separado exclusivamente para que você possa cobrir gastos de emergência, que não estejam previstos no seu orçamento.

Ela serve para lhe auxiliar na reorganização da sua vida, caso alguma coisa errada aconteça.

Ela é muito usada, principalmente, em casos de:

  • Perda de emprego
  • Emergências médicas
  • Reparos da casa e do carro
  • Dificuldades no negócio próprio

Aqui, estamos chamando-a de “reserva financeira”.

Entretanto, diferentes autores a chamam de diferentes nomes, como “reserva de emergência” ou “fundo de emergência”.

No fim das contas, todas essas nomenclaturas se referem à mesma coisa 😉

POR QUE CONSTITUIR UMA RESERVA FINANCEIRA

por que fazer uma reserva financeira

“Winter is coming” ~ Ned Stark, personagem da série Game of Thrones

Dias ruins virão.

Não sabemos quando, nem como, tampouco em qual intensidade.

Mas sabemos que, estatisticamente, todo mundo sofrerá um revés financeiro em algum momento da sua vida.

Sua reserva financeira, ou reserva de emergência, serve justamente para que você consiga lidar com esses períodos.

Por isso, a constituição dela deve ser sua primeira prioridade na construção de um patrimônio.

Antes de comprar bens que você possa desfrutar, como um carro ou uma casa, você precisa montar sua reserva.

Sua constituição é a base do seu plano de independência financeira. Ela deve vir antes de praticamente tudo.

É graças a ela que você conseguirá manter o seu padrão de consumo, até que a situação negativa se normalize.

Se você desenvolver um desejo ardente em prosperar financeiramente (e esse é o 1º passo para o sucesso financeiro), você precisa começar seu planejamento montando sua reserva.

Ela funciona quase como um remédio tranquilizante para o seu patrimônio.

Ela lhe garantirá tranquilidade e paz de espírito para encarar os piores momentos da sua vida (ou, pelo menos, os piores momentos financeiros).

Por isso, se você ainda não constituiu sua reserva, trabalhe agora mesmo para criá-la.

Não gaste tempo ou energia tentando ficar rico rápido sem antes ter uma boa base de capital formada para lidar com imprevistos…

PASSO A PASSO PARA CONSTITUIÇÃO DE SUA RESERVA FINANCEIRA

fundo de emergencia

A criação de sua reserva financeira passa, necessariamente, por cada um dos passos abaixo.

PASSO #1 – LIVRE-SE DAS DÍVIDAS RUINS

Se você não possui dívidas do cartão de crédito ou para o consumo de bens, meus parabéns. Você já venceu esse passo.

Agora, para quem está endividado, o primeiro passo para a constituição da sua reserva de emergência é justamente se livrar das dívidas.

Para tal, você precisa promover uma verdadeira guerra às dívidas: venda bens que não usa tanto, siga todas as ideias possíveis para juntar dinheiro rápido e procure economizar dinheiro em todas as ocasiões que você conseguir.

Mas não constitua sua reserva de emergência antes de se livrar de suas dívidas.

PASSO #2 – DESCUBRA QUAL É O TAMANHO DA SUA RESERVA FINANCEIRA

Esse passo é bem simples, e consiste apenas na descoberta do tamanho ideal para sua reserva.

E qual é este tamanho?

Eu gosto de trabalhar com algum valor entre 3 e 12 meses de suas despesas mensais.

Esse valor deve variar de acordo com suas características.

Se você é um empreendedor, que possui um negócio próprio e menos previsibilidade de fluxo de caixa, opte por algo próximo a 12 meses.

Agora, se você possui um cargo público com certa estabilidade, você pode se dar ao luxo de montar uma reserva menor.

O importante é que ela nunca seja menor do que 3 meses, tampouco maior do que 12 meses.

PASSO #3 – JUNTAR DINHEIRO PARA CRIAR SUA RESERVA

Se você seguiu os dois primeiros passos, você já sabe exatamente quanto precisa juntar para constituir sua reserva financeira.

Agora é a hora de, de fato, juntar esse dinheiro.

Normalmente, eu recomendo que você invista, no mínimo, 15% da sua receita mensal nos seus planos financeiros de longo prazo.

Entretanto, a constituição de sua reserva de emergência requer urgência.

Então, se você estava endividado, continue sua “guerra às dívidas”: continue juntando dinheiro de forma rápida até constituir sua reserva.

Se você não estava e ainda não constituiu essa reserva, comece agora seus esforços para constituí-la o quanto antes.

Para esse passo, recomendo, também, o artigo com 21 dicas pouco conhecidas sobre como juntar dinheiro rápido. Lá, você encontrará bastante inspiração para levantar dinheiro em curtos espaços temporais.

Outro artigo muito legal sobre o tema é esse aqui, do blog “estado zen”, que trabalha com 18 estratégias para que você crie sua reserva.

PASSO #4 – INVESTIR BEM O DINHEIRO ACUMULADO NA SUA RESERVA

Ao seguir os três primeiros passos, a única coisa que ainda precisa ser feita é investir o valor destinado à sua reserva financeira com sabedoria.

Por isso mesmo, criei a próxima seção desse artigo…

ONDE INVESTIR SUA RESERVA FINANCEIRA

onde investir reserva financeira

Pouco adianta você constituir sua reserva, se ela for mal investida.

Tanto durante quanto depois da sua tarefa de juntar dinheiro, você precisa investir corretamente a sua reserva financeira.

Como você não sabe quando precisará acessar o dinheiro dessa reserva, é imprescindível que ela esteja investida em veículos com liquidez diária.

Isso é: em algum lugar em que você possa resgatar com facilidade.

Também é imprescindível que ela esteja investida em ativos de renda fixa pós-fixados.

Isso porque, nos títulos pós-fixados, você não corre o risco de desvalorização de um dia para o outro, diferentemente do que ocorre em ativos prefixados.

Um investimento em título pós-fixado funciona quase que nem um reloginho: todo dia rende um pouco.

Se você encontrar um veículo que respeite esses dois critérios já comentados, o terceiro será o de rentabilidade.

Quanto mais sua reserva render, melhor.

Então, resumindo, você precisa investir em ativos:

  • Com liquidez diária
  • De renda fixa
  • Pós-fixados

Os principais ativos que podem se enquadrar nestes critérios são:

  • CDBs
  • LCs
  • Tesouro Selic (LFT)
  • LCIs e LCAs
  • Fundos DI e de Renda Fixa com carteira majoritariamente pós-fixada

Com exceção do tesouro Selic (leia mais sobre ele nesse artigo), garantido pelo governo federal e conhecido como a “taxa livre de risco do mercado”, todos os investimentos tem rentabilidades variadas, de acordo com características próprias e do emissor.

Nos casos dos CDBs, LCs, LCIs e LCAs, geralmente elas são fixadas como um percentual do CDI,  (por exemplo: 95% do CDI, 100% do CDI, etc). Isso é justamente o sinal de que são pós-fixados!

Já os fundos de investimento não possuem uma garantia de rentabilidade que possa ser fixada na hora de se investir neles.

Por isso, daí já se torna mais importante realizar uma boa análise do fundo (qual a taxa cobrada, qual a composição da carteira, etc) e do gestor por trás dele.

Você precisa sempre checar, também, se as condições do banco emissor (nos casos das CDBs, LCs, LCIs e LCAs) e/ou dos fundos analisados garantem a liquidez diária.

Então sempre se certifique desses pontos antes de realizar algum investimento.

E, se você ficar com dúvidas após a sua análise, consulte um consultor especializado.

QUANDO USAR SUA RESERVA FINANCEIRA

reserva financeira como fazer

Nesse ponto é muito importante ressaltar que nem toda despesa que surja repentinamente é uma emergência, por mais que às vezes pareça.

Jamais gaste sua reserva em viagens, presentes e aumento no padrão de consumo.

Só use-a depois de responder três importantes perguntas, quando se deparar com uma despesa inesperada:

  1. É, de fato, uma despesa inesperada?
  2. É uma despesa necessária?
  3. É uma despesa urgente?

Quanto mais vezes você responder “sim”, mais provável se torna a chance desta despesa ser, realmente, uma emergência financeira.

PERGUNTA #1 – É, DE FATO, UMA DESPESA INESPERADA?

A vida nos traz muitas surpresas.

Uma demissão do seu emprego é uma delas.

Um vendaval que danifique a sua casa pode ser outra.

Mesmo se você estiver com seu patrimônio bem protegido por seguros, há a necessidade do pagamento da franquia.

É justamente para isso que sua reserva serve.

Entretanto, despesas recorrentes e sazonais, como presentes de natal, dia das mães e aniversários de pessoas próximas, não são inesperadas.

Então, sempre confira se a despesa é inesperada ou sazonal.

PERGUNTA #2 – É UMA DESPESA NECESSÁRIA?

Você precisa entender que necessidades e desejos são coisas absolutamente diferentes.

Jamais as confunda.

Se o seu carro estragar e você precisar consertá-lo para facilitar sua locomoção ao trabalho, trata-se de uma necessidade clara.

O mesmo vale se houver um problema de infiltração na sua casa, por exemplo.

Agora, trocar de carro sem um bom motivo ou promover uma reforma estética na sua casa não se enquadram como necessidades, e sim desejos.

Não há problema nenhum em ter esses desejos e realizar esses upgrades. O importante é que você jamais “roube” seu dinheiro separado para necessidades para lidar com seus desejos.

PERGUNTA #3 – É UMA DESPESA URGENTE?

Sempre que uma necessidade imediata surgir na sua vida, conserte a situação usando sua reserva financeira.

O que é importante é que você saiba distinguir  bem o que é uma necessidade imediata e o que não é.

Trocar todos seus eletrodomésticos antigos (mas que ainda funcionam) porque há uma grande loja fazendo promoção não é algo que se enquadre como despesa urgente.

Agora, trocar um ar condicionado que estragou no auge do verão, é.

Saiba muito bem como distinguir essa linha tênue entre urgência e “desejo urgente”.

CONCLUSÃO

reserva financeira ideal

Neste artigo, cobrimos absolutamente tudo que você precisa saber sobre reserva financeira.

Se você ainda não possui uma, sugiro que siga o passo a passo descrito aqui para constituí-la o quanto antes.

E caso você possua, verifique se ela está do tamanho adequado e se está bem investida!

Também sempre faça as três perguntas que você aprendeu aqui antes de gastar o valor separado na sua reserva!

Fonte: clubedovalor.com.br/reserva-financeira/

Share on Facebook78Tweet about this on TwitterShare on Google+1Share on LinkedIn0Print this pageEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blog Willian Rodrigues

Receba as atualizações do blog no seu e-mail