A evolução da tecnologia low-code em 2021

Durante a pandemia, o rápido desenvolvimento de aplicativos e canais digitais tornou-se necessário para atender a uma base de clientes que realizava cada vez mais as tarefas do dia a dia online – comportamento que os especialistas preveem que continuará mesmo depois que a pandemia acabar.

Como resultado, o low-code e os novos métodos de desenvolvimento tornaram-se ferramentas essenciais para empresas que buscam aderir rapidamente à transformação digital. Segundo previsão da Forrester, a demanda crescerá 15% em 2021. À medida que a tecnologia continua a amadurecer e expandir, a integração de tecnologias emergentes, como Inteligência Artificial (IA), machine learning ou aprendizado de máquina e biometria, estão se tornando essenciais para que as empresas aproveitem a tecnologia para avançar em direção a um futuro digital em primeiro lugar.

Embora os métodos tradicionais de desenvolvimento e a função das equipes de TI nunca desapareçam, a adoção de low-code agora permite que essas equipes se concentrem em tarefas de nível superior. Na verdade, o desenvolvimento low-code é projetado para responder por 65% de todo o desenvolvimento de aplicativos até 2024 – a tecnologia é claramente o futuro das empresas, segundo estudo da Gartner, publicado em 2020. À medida que a adoção de baixo código continua, é importante manter o olhar sobre os recursos tecnológicos atuais, bem como o que vem por aí.

Como a low-code está sendo usado atualmente?

A low-code tornou-se recentemente uma tecnologia chave para permitir que as empresas produzam aplicativos web e mobile usando processos e modelos específicos para seu setor, sem a necessidade de criar software do zero – economizando tempo de execução essencial.

Como a tecnologia low-code continua a se desenvolver e evoluir para atender à crescente demanda, ela se tornou cada vez mais essencial à medida que as plataformas levam em consideração novas integrações, bem como os padrões da indústria em termos de segurança e funcionalidade abrangente. A adoção de plataformas de desenvolvimento low-code também ajudou a eliminar gargalos, comuns em empresas com pouca experiência tecnológica ou com departamentos de TI sob imensos fardos de responsabilidade.

Além disso, há uma escassez de programadores e talentos de TI disponíveis – De acordo com relatório da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), a área de Tecnologia da Informação (TI) demandará cerca de 420 mil profissionais até 2024. Anualmente, o Brasil capacita 46 mil pessoas com perfil tecnológico aptas à área de TI. No entanto, a projeção da Brasscom aponta que serão necessários cerca de 70 mil profissionais ao ano para que as vagas sejam completamente ocupadas. Como resultado, plataformas low-code estão sendo usadas para apoiar os desenvolvedores, permitindo que eles trabalhem em vários projetos ao mesmo tempo e se concentrem em outros objetivos menos mecânicos: como produzir softwares alinhado com as necessidades do negócio e o usuário.

Tecnologias emergentes e o que vem a seguir?

Como low-code continua a amadurecer e se elevar para se tornar uma ferramenta comum de nível empresarial, é inevitável que novos recursos ocorram. Mesmo em 2021, podemos esperar a evolução do low-code para atender às necessidades crescentes das organizações.

Olhando para o futuro, à medida que as plataformas de low-code vão além de seu papel como tecnologia beta, as integrações precisam estar prontamente disponíveis e serem capazes de incorporar e conectar-se à tecnologia de setores especializados, incluindo reconhecimento facial, biometria, inteligência artificial e muito mais.

As plataformas provavelmente também mudarão o foco em IA, machine learning, realidade aumentada e realidade virtual – tecnologias emergentes que são cada vez mais relevantes e necessárias para empresas modernas que desejam obter uma vantagem competitiva. Na verdade, as organizações que não aproveitam o progresso em áreas como IA, open banking e outros aceleradores atualmente disponíveis correrão o risco de ficar para trás. Ao reduzir os tempos de entrega, limitar os erros com os ciclos de produção de software e incorporar essas tecnologias emergentes, o low-code pode ajudar a garantir que as empresas mantenham agilidade e dinamismo.

Conclusão

Por fim, em um momento sem precedentes para empresas grandes e pequenas, muitas se voltaram para plataformas low-code para desenvolver rapidamente os recursos digitais necessários para se manter alinhadas com as necessidades do consumidor e permanecer à tona durante a pandemia. No entanto, a tecnologia apenas começou a provar sua utilidade – com a adoção e os recursos apenas esperados para continuar aumentando, a era do low-code e do desenvolvimento com pouco conhecimento de programação veio para ficar.

*Wagner Martin é diretor de Desenvolvimento de Negócios da Veritran Brasil

Fonte: https://computerworld.com.br/plataformas/a-evolucao-da-tecnologia-low-code-em-2021/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Newsletter willianrdg.com.br
Assine a newsletter e receba as atualizações do blog no seu e-mail.